Tapando Vazamentos de Energia

A psicologia é o estudo do desperdício. Muito do que observamos em nós mesmos é uma forma de eliminar energia. Fisicamente, nós gastamos o excesso de energia em quase todos nossos movimentos, levantando coisas usando muita força, movendo-nos com pressa e fervor injustificáveis, até mesmo tensionando músculos enquanto sentados ou deitados. Emocionalmente, vazamos energia através de ansiedade, apreensão, guardando rancor, através do julgamento perpétuo de outros e de nós mesmos, e nossa consideração constante do que os outros pensam ou esperam de nós. Intelectualmente, nós vazamos energia através de devaneios, através de argumentos internos e através da reprodução em nossas mentes de eventos passados ou fantasiando sobre eventos futuros. Quanto mais profunda nossa auto-observação, mais ela revela um espectro extraordinariamente vasto de desperdício de energia.

Funcionando dessa forma, nos conformamos ao padrão maior da natureza. A Natureza em geral funciona conforme o princípio do desperdício. As plantas produzem polem e flores em abundância, animais produzem esperma e óvulos em abundância, todos em uma contínua tentativa de perpetuarem-se. A produção é tão larga que a menor probabilidade é suficiente. Se apenas uma entre dez mil bolotas amadurece e forma uma árvore, ou um entre dez mil girinos se desenvolve e torna-se um sapo, então a natureza atingiu seu objetivo e o extraordinário desperdício foi justificado.

Quando a meta muda, contudo, também deve mudar a atitude sobre o desperdício. Fazendeiros cuja meta é produzir vinho não podem mais permitir que suas videiras cresçam selvagens, como fariam de acordo com a natureza. O crescimento desenfreado das videiras tem impacto sobre a vitalidade de seus frutos, também como dificulta seu manejo. Para aumentar a qualidade, os fazendeiros devem restringir a tendência natural da videira por quantidade. Da mesma maneira, se temos como meta desenvolver um elemento governador dentro de nós que controla pressa, julgamento ou devaneios, não podemos mais nos permitir nossa despreocupada vida de desperdício. Nós temos que estudar nossos vazamentos habituais de energia e começar a tapá-los.

Esse foi nosso trabalho de Março.

Ao começar a lutar contra todos esses aspectos habituais de sua vida, um homem poupa uma quantidade enorme de energia, e com a ajuda dessa energia ele pode facilmente começar o trabalho de auto-estudo e auto-aperfeiçoamento.
Gurdjieff