Lições de novembro de 2021 – A Perspectiva de um Estudante

Um dos primeiros conceitos que ficou claro o suficiente para obter conhecimento e começar a compreender neste Trabalho foi o que Gurdjieff chama de “quatro inimigos” do homem: emoções negativas, imaginação, identificação e mentira. Há muita literatura sobre os três primeiros, e o último, “mentir”, salpicado aqui e ali; e assim, não demorou muito para ser capaz de começar a observar emoções negativas e imaginação. Elas acontecem de forma tão descarada que chamam facilmente a atenção, se trabalharmos.

A identificação, por outro lado, tem sido uma inimiga na qual venho me concentrando nos últimos dois anos e só recentemente estou começando a entendê-la. É tão sutil e prevalente que é difícil de observar. Mas isto pode ser feito.

Não sei por que a identificação acontece, mas o que observei são algumas das maneiras como ela acontece, e comecei a usar uma analogia que me ajuda a entendê-la.

Identificação é como uma cola, e o processo de identificação com um pensamento, emoção ou sensação, é como estar colado a eles. A identificação é parte integrante da experiência humana, e seria perigoso presumir que posso evitar estar grudado em algo, pelo menos por enquanto. Colar-me às coisas é parte do que sou, parte da Falsa Personalidade, parte de viver a vida mecanicamente. O que a auto-observação me permitiu ver é como fico grudado nas coisas, e um dos principais indicadores está na reação aos diferentes “eu”s.

Vejamos um exemplo: acho que sou uma pessoa inteligente.

Posso descobrir o quão identificado estou com isso, por meio de quantos “eu”s reagem a essa crença e quão forte são suas reações. Se alguém questionar minha inteligência, terei uma forte reação negativa a essa pessoa. Um surto de “eu”s irá ferver e lutar contra a declaração. Meus “eu”s intelectuais irão julgar a pessoa como não qualificada para julgar minha própria inteligência, a julgará estúpida. Meus “eu”s físicos vão tensionar o corpo. Meus lábios se contraem e minha testa franze. Meus “eu”s emocionais estarão carregados de negatividade e sentirei uma forte aversão por essa pessoa. Ou, por outro lado, se alguém comentar que sou uma pessoa inteligente, então meus “eu”s intelectuais a julgarão favoravelmente, meus “eu”s emocionais gostam e ficam satisfeitos com ela, meus “eu”s físicos sentem uma sensação de prazer em relação a ela.

A intensidade da minha reação a uma ideia ou afirmação, seja positiva ou negativa, é uma consequência direta de como estou identificado com a ideia em si. Uma maneira de começar a observar sua própria identificação é ver com que intensidade você reage. Este é um dos indicadores.

No momento, não sei se o processo de identificação pode ser mudado, mas o que estou começando a compreender é que posso influenciar o quanto me identifico com um pensamento, uma emoção ou uma sensação, e como posso usar o indicador de “reação” para observá-la. Uma reação forte é um sinal claro de que estou colado a esse pensamento, emoção ou sensação a que estou reagindo. Significa que estou identificado com eles.